fbpx

Vôlei: Levantadora Nikoli Maria treina com vários tipos de bola durante a pandemia

Nikoli Maria Siqueira - Levantadora Sirius

São Paulo (SP) – Ibitinga é famosa como a “Capital Nacional do Bordado”. A cidade do interior paulista entrou no mapa do vôlei com a líbero Léia. E, se depender da levantadora Nikoli Maria Siqueira, vai aumentar sua representatividade no esporte. A atleta de 19 anos superou uma lesão no joelho em 2019 e não se deixa abalar nos dias de isolamento em função da pandemia pela COVID-19. Para manter a precisão técnica, são mais de 1.500 toques e mil manchetes por dia. “Eu uso bolas de basquete, handebol, futebol e finalizo com a de vôlei. Os diferentes encaixes e pesos ajudam a manter a precisão e evitar erros como dois toques”, conta a jogadora.

Além dos treinos técnicos, Nikoli faz trabalho físico em dois períodos. O objetivo é manter o condicionamento físico e garantir o fortalecimento dos membros inferiores, após romper o ligamento cruzado anterior da perna esquerda. “Torci o joelho em uma queda em um treino para o meu último jogo por Ibitinga. Fiz a cirurgia em abril de 2019 e após três meses estava na academia. Nunca deixei de ir ao ginásio e treinar o gesto técnico do jeito que dava. Em seis meses estava de volta à quadra”, relata a levantadora.

Entrevista da levantadora para a Revista Foco Ibitinga

Após se recuperar de uma cirurgia no ligamento cruzado anterior do joelho, Nikoli Siqueira enfrenta a pandemia com disposição e expectativa de voltar a jogar. Nos treinos em casa, usa bolas de futebol, handebol e basquete juntamente com a de vôlei.

O foco na preparação não diminui a ansiedade para que o esporte retorne após o período de isolamento em função do novo coronavírus. “A expectativa é muito grande para voltar a jogar e poder mostrar o melhor do meu trabalho. Acertei com o Sirius, de São José dos Campos. Fui contratada pelo clube e voltando da pandemia, assino com eles para terminar a temporada no Vale do Paraíba. Enquanto isso, sigo treinando em casa da melhor forma possível e mantendo uma dieta equilibrada”, explica Nikoli, que conta com a ajuda do pai, Dirceu, na rotina de exercícios.

Nikoli não cuidou só do corpo, mas também da cabeça durante a recuperação da cirurgia. E essa força mental tem sido importante também nesse período de paralisação do esporte de competição. “Aprendi a ser forte também psicologicamente. E Foi uma vitória quando, após dez meses da lesão no joelho, passei nos testes físicos para integrar a equipe do Sírius. Claro que tive dúvidas e medo de não conseguir voltar no mesmo ritmo de antes, mas todo o esforço valeu a pena”, avalia a levantadora, que se apaixonou pelo vôlei nas aulas de educação física escolar e tem Fofão e Fernanda Venturini como referência, além de buscar inspiração no estilo de nomes como Fabíola, Roberta e Macris.

FICHA TÉCNICA
Nome: Nikoli Siqueira
Posição: Levantadora
Nascimento:28/05/2001
Local: Tabatinga-SP
Altura:1,75m
Equipes: Borborema, Ibitinga, Araraquara e Sirius
Maior sonho no esporte: Jogar na seleção Brasileira

FONTE: ZDL Sports

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Comente com seu Facebook

Clique aqui e garanta seu desconto para anunciar

Você pode ganhar até 25% de Desconto para Anunciar!

Durante o estado de calamidade estamos oferecendo desconto especial para anunciantes que fizerem seus contratos de forma digital. Clique no botão abaixo para que nossa equipe entre em contato com você.
Preencher formulário

Receba as matérias por email

Preencha corretamente os campos abaixo

Quem viu, também viu...

Ciclismo
Revista FOCO

MTB: uma paixão em duas rodas

O ciclismo em geral é um esporte com diversas modalidades que pode ser praticado tanto por homens quanto mulheres. Para cada divisão do ciclismo, é